Você pode achar que carreira e emprego são a mesma coisa, que são apenas duas palavras diferentes para falar da mesma coisa. Mas não. Carreira é um caminho, uma jornada profissional construída ao longo de anos. Significa que você tem objetivos e que toma decisões em busca de atingi-los.

Nem sempre seu emprego tem a ver com a carreira que você deseja construir. Ele pode ser apenas um degrau, uma fonte de renda que te mantêm enquanto você se prepara para essa carreira desejada. Pode ser uma ocupação temporária, durante um momento conturbado ou atípico da vida, ou mesmo uma atividade que te ajude a ganhar experiência na área em que planeja atuar posteriormente, de forma estruturada.

Por exemplo: um jovem pode trabalhar como garçom, atendente de supermercado, babá, representante de uma marca de cosméticos, ou trabalhar no negócio da família, enquanto estuda engenharia e se prepara para o momento de iniciar os estágios e começar a praticar os conhecimentos acadêmicos. Uma mãe, com um bebê de poucos meses de idade, pode não conseguir voltar para a carreira que tinha anteriormente, pois exigia muitas horas de dedicação à empresa. Ele pode criar oportunidades diferentes de geração de receita durante o primeiro ano de criança, pois nesse momento seu foco é a maternidade e a qualidade de vida.

A carreira está associada a diversas decisões tomadas ao longo da vida profissional. Aquisição de novo know-how, aprendizado. Pode-se desenvolver uma carreira dentro da mesma organização, se desenvolver ali. Ou mudar de empresa ou posição com mais frequência e também construir uma carreira dessa forma. O importante a se avaliar é se você está aprendendo algo novo, se está se desenvolvendo, adquirindo novas competências e habilidades, e se está subindo pelo menos um degrau na sua carreira. A ideia é a de que cada aprendizado te prepara para a próxima oportunidade.

Mas para isso, é importante que a pessoa seja protagonista, tome suas decisões profissionais de forma autônoma. É claro que vão surgir dúvidas, angústias, conflitos. também vão surgir imprevistos que modificam os planos. Mas se você se conhece bem, tem consciência de quem é, e do que deseja para si, fica bem mais fácil tomar essas decisões sem sofrer tanto e com mais assertividade.

No caso de um emprego, a decisão de continuidade ou não está muitas vezes na mão do gestor ou da empresa. O momento da demissão deixa evidente a diferença entre carreira e emprego. Se você tem um emprego e é demitido, há uma quebra brusca daquele vínculo e o profissional tende a ficar sem perspectiva, demora a reagir e a se reencontrar novamente, pois dependia daquela situação e até para inserção social, afinal o trabalho também nos dá senso de pertencimento e de identidade. É muito comum as pessoas se apresentarem por sua atividade profissional: “Eu tenho função X em empresa Y”. Imediatamente após se recuperar da notícia, a pessoa começa novamente a buscar outro emprego semelhante.

Quando você está construindo uma carreira, ao ser demitido, você permanece nesse processo de construção. Você sabe onde quer chegar, quais empresas e colocações te interessam, o que tem a oferecer, o que aprendeu na última posição e o que quer aprender e aperfeiçoar. Por isso, você segue em frente em busca das melhores oportunidades para tornar realidade seu plano ou sonho profissional.

E então: hoje em dia, você tem uma carreira ou um emprego? Mais importante para essa reflexão é você ter consciência do que sua ocupação atual representa para você e tomar decisões conscientes baseado nisso.

Se você quer se aprofundar mais no conhecimento das possibilidades de carreira e de como planejá-la, conheça mais sobre nossos serviços:

Jovens Profissionais – Conexão Carreira

Profissionais no Mercado – Coaching, Assessment e Recolocação